HYDRUS ESTREIA NO 8º FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA

Newton de Lima Azevedo, presidente do Hydrus, ministra palestra e participa de debate voltado para a capacitação no saneamento, juntamente com personalidades internacionais.

Em março aconteceu o 8º Fórum Mundial da Água, realizado em Brasília, no Distrito Federal. Durante os sete dias de evento mais 120 mil visitantes de 172 países, participaram das 300 sessões com a presença de 12 chefes de Estado. O Fórum é o maior evento global sobre o tema água com a missão de promover a conscientização, construir compromissos políticos e provocar ações em temas críticos relacionados à água para facilitar a sua conservação, proteção, desenvolvimento, planejamento, gestão e uso eficiente, em todas as dimensões, com base na sustentabilidade ambiental, para o benefício de toda a vida na terra. O Hydrus Brasil estreou levantando a bandeira da importância da capacitação profissional no setor.  O presidente Newton de Lima Azevedo ministrou, ladeado de representantes internacionais, palestra focada na capacitação no saneamento.

Newton participou da Sessão de Debate, com coordenação da Rand Water Academy (África do Sul), ONEE (Marrocos), Associação de Mulheres Trabalhadoras da Índia (SEWA), Fa.Vela (Brasil) e Escritório Internacional de Águas, que abordou a necessidade da criação, desenvolvimento e fortalecimento de centros e programas de treinamento especializados. Esta sessão mostrou as melhores práticas sobre como criar e desenvolver centros dedicados de treinamento para saneamento.

Durante o evento foram apresentadas a história do nascimento do Hydrus Brasil e a importância da parceria com o Office International de L’Eau (OIEau) para a criação do Centro de Capacitação aqui no país.

O Hydrus já capacitou cerca de 400 funcionários de operadoras privadas e municipais e espera até o final de 2018, atingir 1.000 profissionais. “São aqueles colaboradores que vieram dos mais variados setores da economia, sem nenhuma vivência ou informação sobre saneamento. Não dá para o profissional só ‘aprender fazendo’, é de suma importância que o setor se preocupe com capacitação. Nosso país tem problemas medievais que precisam ser corrigidos e sem a capacitação é impossível melhorar a eficiência na gestão e operação dos sistemas de água e esgoto”, conclui Newton.

Estima-se que existam hoje 200 mil funcionários no setor de saneamento, sendo que 70% situa-se na área operacional, os chamados de “chão de fábrica”, a quem se destina os cursos do Hydrus.

 

Comentários